O que é Forense Digital

forense digital

Introdução Forense Digital

Com a deflagração da operação Lava Jato em março de 2014, a discussão sobre técnicas de investigação de questões judiciais aumentou exponencialmente, tanto no setor público como no privado, tornando a

crime-virtual

Forense Digital uma das ciências mais famosas dos últimos tempos, pois uma das principais frentes de investigação de qualquer caso é a análise de dados digitais armazenados em computadores, dispositivos móveis, e-mails, nuvem ou em quaisquer outras variações de pequenos dispositivos derivados da Internet das Coisas.

Com o desenvolvimento da operação, as áreas de perícia judicial, assistência técnica judicial, consultoria de investigações corporativas e até questões mais simples como recuperação de dados excluídos se tornaram um assunto cotidiano da televisão, jornais, filmes e conversas familiares.

Forense Digital

A Forense Digital é a ciência responsável pela investigação forense de evidências tecnológicas, ela é uma das frentes de investigação mais recentes, mas já é primordial em absolutamente qualquer investigação que se desenvolva no planeta. Ela tem como objetivo a preservação, coleta, análise e apresentação de resultados de análise das evidências digitais.

Uma vez que é responsável por investigações digitais, ela se torna tão complexa quanto a própria tecnologia, sendo necessário que profissionais busquem especializações em cada um dos ramos da Forense Digital para que seja possível solucionar as questões judiciais que se apresentam. Neste artigo vamos mencionar algumas delas.

Computação Forense

A Computação Forense é um dos ramos mais tradicionais da Forense Digital, nela se fundamentaram as principais metodologias de coleta e análise de evidências e na maioria das vezes acaba sendo confundida com a própria Forense Digital.

Estuda especificamente coletar e analisar evidências de plataformas de computadores pessoais e servidores, geralmente configurados com sistemas operacionais Windows ou derivados de Unix, é imprescindível que o profissional atuante nesta área tenha sólidos conhecimentos do sistema operacional o qual está analisando, também do sistema de arquivos e que conheça a operação do dispositivo de armazenamento, seja ele um disco virtual, um disco rígido ou de estado sólido.

O Professor Renan Cavalheiro fala mais detalhes sobre a computação forense em uma entrevista para o canal DioLinux no youtube. Clique aqui para assistir.

Forense em Dispositivos Móveis

A Forense em Dispositivos Móveis é uma das ramificações mais recentes da Forense Digital, ela se caracteriza por maiores dificuldades de acesso ao dispositivo, de extenso esforço para desbloquear o aparelho e de frequentemente obter menos dados do que o dispositivo efetivamente possui.

No âmbito corporativo ela é um tema complexo, devido ao uso de dados pessoais e corporativos nos mesmos espaços, como WhatsApp, Uber, E-mail e outros. Ela é mais complexa que a computação forense tradicional, exige equipes altamente treinadas ou equipamentos especializados para conseguir resultados aceitáveis.

A Forense em Dispositivos Móveis quebrou paradigmas da tradicional Computação Forense, ao contrário de um computador aonde se deve evitar a todo custo qualquer intervenção no sistema, nela é necessário realizar acessos para eventuais tentavas de desbloqueio de senha, instalar aplicativos para elevação de privilégios e nos casos mais excepcionais até mesmo fotografar tela por tela do sistema.

Forense Digital em Redes

Trata-se da análise de tráfego de rede com fins de investigação, o foco dela é no dado em trânsito, não armazenado, independentemente do dispositivo receptor ou emissor, neste ramo da forense é crucial obter a maior quantidade de dados relevantes possíveis para que seja possível reconstruir as informações com precisão.

Forense em Internet das Coisas

A mais recente revolução tecnológica tem como objetivo conectar dispositivos cotidianos à internet, abrindo com isso um leque de possibilidades para ataques, fraudes e, portanto, para investigação. Diversos dispositivos serão testemunhas de crimes e fraudes financeiras, de litígios dos mais variados e para isso está se desenvolvendo a Forense em Internet das Coisas (IdC), a qual visa coletar e analisar os dados armazenados nestes dispositivos.

Forense em Banco de Dados

A Forense em bases de dados visa verificar os dados e os metadados existentes em servidores, visa identificar por exemplo quem foi o autor de determinada exclusão de dados em uma tabela de dados sensíveis, ou ainda analisar as transações realizadas no banco, identificando desvio de padrões e potenciais indícios de fraudes financeiras em uma base contábil e financeira de uma empresa.

Conclusão – Forense Digital

A Forense Digital é uma ciência constituída de subáreas da tecnologia e é muitas vezes confundida com sua ramificação mais antiga, a Computação Forense, no entanto o rápido desenvolvimento  da tecnologia exige entendimentos mais profundos dos conceitos para que os profissionais e estudantes da área sejam capazes de se especializar em suas funções, sendo necessário para isso definir com precisão os conceitos que constituem a arquitetura da Ciência Forense Digital e compreender o alcance e limitação de suas respectivas ramificações.

A Academia de Forense Digital é um Centro de conhecimento, pesquisa e desenvolvimento de Forense Digital no Brasil. Saiba mais em www.academiadeforensedigital.com.br

Foram abertas as matrículas para uma turma especial do Treinamento de Fundamentos de Forense Digital com o Professor Renan Cavalheiro, abordando os tópicos das principais áreas da investigação forense digital, tais como a computação forense, forense em dispositivos móveis e forense em redes.

Para a realização deste treinamento clique aqui.

forense digital

Cadastre-se em nossa lista Vip

[email-subscribers namefield=”YES” desc=”” group=”Public”]

 

Deixe uma resposta